Empresa familiar, você sabe identificar uma? Ou: você saberia como deixar a informalidade de lado pa



Meu background com empresas familiares está bem recheado. De 5 empresas que já trabalhei, 4 são familiares, começando pela minha própria empresa familiar (eu, meu irmão e minha mãe).

Zero racionalidade e muita emoção. Zero organização e muita intuição. Zero liderança e muitos donos.

Que fique muito claro: emoção, intuição e sócios não são o problema. Estes quesitos são essenciais para não virarmos robôs, automatizados e etc. Porém, esses quesitos não podem dominar e serem os norteadores de tudo.

Hoje, estou trabalhando em uma empresa que está em transição de "familiar" para "organização", em um mercado totalmente novo para mim. E com isso divido minha experiência até então.

T R A N S I Ç Ã O - Na teoria já não é fácil. Na prática menos ainda.

O problema que venho encontrando se resume sempre em: Ego.

Querer estar no poder, não aceitar que existem mudanças no mercado, ignorar dados e indicadores, e a lista segue... Pode ser algo muito subjetivo, também é difícil de admitir, mas é melhor doer um pouco e resolver, evoluir e se sentir realizado.

O resultado de uma empresa familiar?

Equipe perdida, sem saber a quem responder, todo mundo faz um pouco de tudo, sem padrão e organização alguma, e diga adeus a produtividade, eficiência e melhoramento contínuo.

Já é difícil lidar com a definição de um organograma, cargos e funções, composição de custos, etc. Adicione o ego nessa lida e verás que é quase impossível.

Não vou dizer "impossível", mas com certeza vai levar MUITO mais tempo. Não sei se vai demorar o dobro ou triplo do tempo porque nunca tive a oportunidade de mensurar, mas com certeza não será o ideal.

Paciência. O "X" da questão.

A solução?

Depois de quase dois meses de diagnóstico para entender a realidade de um novo mercado, por ser uma empresa familiar, foi fácil levantar a causa de 99% dos problemas. Então, para conseguir conquistar os quesitos básicos de uma organização, meu papel tem sido:

1. Benchmarking

Apesar de nunca trabalhar neste mercado, nunca deixo de perguntar, perguntar e perguntar. Ás vezes até me acham chata, porém, preciso entender de todas as perspectivas possíveis a realidade do mercado. Além disso, mesmo se eu já entendesse sobre este mercado, eu preciso saber como os nossos concorrentes estão trabalhando para poder comparar nossas eficiência, preço e etc. Sem saber isso, não conseguiria tomar nenhuma decisão. E são com essas informações que consigo quebrar o ego que reside e afeta o dia a dia de todos dentro da empresa. Por que? Porque não sou eu que estou dizendo, são seus concorrentes que de pouquinho em pouquinho estão abocanhando seus clientes enquanto você dorme.

O que pesquisar sobre seus concorrentes?

  • preço

  • marca

  • região geográfica

  • formas de pagamento

  • principais clientes

2. Levantar os mínimos detalhes

Dominar as informações (não pessoas ou processos) tem sido de suma importância para mim. Numa empresa familiar, ninguém sabe tudo, ninguém tem uma resposta completa, tudo depende de outra pessoa, ninguém está se importando. Não há um líder. Já que o suposto líder só está interessado em levar os créditos e poder usufruir o máximo possível da estrutura da "sua" empresa. Com TODAS as informações em mãos (que ainda estou levantando, porque por mais que eu procure, todo dia tem alguma surpresinha) não estarei vulnerável a opinião de alguém sem fundamento.

Não sabe por onde começar?

  • devore a tarifa de telefones móveis, consumo de combustível, etc

  • conheça todos os sistemas/consultores contratados

  • converse com todos, TODOS, os colaboradores sobre tudo, TUDO

  • veja os extratos de pagamentos todos os dias, TODOS OS DIAS

  • passe a aprovar cada centavo a pagar

  • conheça os processos atuais e questione tudo, TUDO

Por enquanto, estou nessa fase de benchmarking e detalhes, porém, no curto prazo, espero conseguir definir itens básicos de uma organização focados no RH, ou seja, os próximos passos são:

  • organograma (pronto, porém não compartilhado com a equipe até questões jurídicas serem deliberadas);

  • cargos e funções (depende do compartilhamento com a equipe, será construído em conjunto);

  • mapear procedimentos (após cargos definidos, cada colaborador se juntará a quem for co-responsável pelo procedimento para mapearem o processo em conjunto);

  • fluxo de caixa (não tem fluxo de caixa no sistema por falta de organização nos lançamentos; aguardando questões jurídicas serem deliberadas para poder ajustar e organizar os lançamentos, enquanto isso estou fazendo o fluxo de caixa "a mão" no excel porque não consigo respirar sem um fluxo, rsrs).

É simplesmente impossível desenhar os próximos passos sem entender o que acontece no dia a dia nos mínimos detalhes.

Como vou definir o custo do item "sistemas", por exemplo, se nem sei quais são os sistemas contratados? Não adianta só perguntar. Eu perguntei. E ninguém me deu uma resposta completa e coerente. Só consegui levantar esta informação quando passei a acompanhar os pagamentos diariamente por um mês e ver o que realmente está contratado e por qual valor. Não adianta. Se você não se apegar aos mínimos detalhes vai desandar.

Um dia, claro, não vou precisar fazer este tipo de controle. Terá um responsável, auditorias, contratos (sim, vários serviços não tem contratos) e se qualquer coisa sair do procedimento padrão será muito fácil identificar o "furo".

Mas por enquanto, até dominar as informações e me sentir segura, vou precisar dessas rotinas para conseguir alinhar tudo.

Enfim, para quem poderia ter curiosidade de como podemos começar a transformar uma empresa familiar em uma empresa de verdade, concluo resumidamente o que posso compartilhar até o momento.


quem sou eu

Yasmin de 1990, 220v, arquiteta, empreendedora, gestora, meu currículo você encontra aqui.
Amo livros, series e papelaria. Já fui compulsiva por comprar cadernos, hoje tenho prazer em usá-los e lê-los. Busco o tempo todo estar o mais presente possível (para mim esse é o segredo de tudo). Me comunico melhor através de listas, implemento o método GTD na minha vida desde 2016. Branco, preto e cinza. Cores são sazonais na minha vida. Me conecto com tudo que tem consistência e transparência. Eu amo planejamento e entrego todos os meus planos para Deus todos os dias. Sim, um dia dissertarei sobre isso. Me movo através de pequenos passos que ao longo do caminho se despertam em coisas incríveis que nunca imaginaria. Estou aqui para compartilhar meu caminho enquanto me organizo e conquisto minhas metas de vida, e com isso, espero te ajudar a viver um dia de cada vez em direção às suas conquistas!